OLIVIA BASSO ROCHA

AUTOR: OLIVIA BASSO ROCHA

TÍTULO: CRIOPROTETORES E EMBRIOTOXICIDADE EM ZEBRAFISH (Danio rerio)

ORIENTADOR: Profa. Dra. Mônica Ferreira Machado

DATA DE DEFESA: 31/10/2018

 

RESUMO:

A criopreservação é uma técnica que resulta na inércia do desenvolvimento embrionário e consiste na desidratação do embrião, seguido de resfriamento com crioprotetores, a fim de manter intacto o material genético da célula desejada. A criopreservação em peixes ainda não é uma técnica viável, por vários motivos, entre eles podem ser citados: tamanho do embrião e a citotoxicidade dos crioprotetores. Todos os testes realizados para toxicidade crioprotetora estão relacionados à manutenção dos embriões em diferentes concentrações à temperatura ambiente. No entanto, não há dados comparando esta toxicidade entre os embriões mantidos à temperatura ambiente. Assim, o objetivo do presente trabalho foi analisar a toxicidade de crioprotetores em temperatura ambiente e resfriados. Os testes foram realizados em embriões de peixe-zebra (Danio rerio) usando 12 concentrações dos compostos, em diluição seriada, de 50% a 0,002%. Observações de mortalidade e alterações teratogênicas foram feitas a cada 24 horas. O DMSO e o glicerol são os menos tóxicos, mas determinam a formação de edema de pericárdio, quando usados em concentrações maiores que 3,12%. À temperatura de resfriamento, observamos que a toxicidade dos crioprotetores diminuiu e que houve um aumento no atraso na eclosão, o que era esperado, já que em baixas temperaturas o tempo de desenvolvimento do embrião foi reduzido. Os crioprotetores mais indicados para o resfriamento foram o metanol e o etilenoglicol, em concentrações de 1,56% a 0,78%.

  Pdf ícone

TEXTO COMPLETO