SAUDE ÚNICA

Coordenadora: Raphaella Barbosa Meirelles Bartoli

 

Desde 2008, Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), Organização Mundial de Saúde (OMS) e Organizações das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) passaram a desenvolver estratégias conjuntas dentro do conceito “One Health” com o objetivo de reduzir os riscos de emergência e disseminação de doenças infecciosas resultantes da interface entre animais, humanos e ecossistemas. A Saúde Única é a visão integrada e inseparável da saúde humana, animal e ambiental. A interação em desequilíbrio entre seres humanos, animais e o ambiente promove o aparecimento das zoonoses, que são doenças comuns aos seres humanos e animais, bem como aquelas transmitidas por vetores ou adquiridas por uma fonte comum. Das enfermidades infecciosas humanas 60% são zoonóticas e nas últimas três décadas 75% das doenças emergentes nos seres humanos foram assim classificadas. A prevenção e a eliminação das zoonoses nos seres humanos dependem, em grande parte, de medidas adotadas contra essas doenças nos animas, confirmando a importância da medicina veterinária na saúde pública. A saúde única conecta a Medicina Veterinária, medicina humana e todos os outros profissionais da saúde para que melhore as ações em saúde pública e reduza os riscos da saúde global. A abordagem Saúde Única define políticas, legislação, pesquisa e implementação de programas, em que múltiplos setores se comunicam e trabalham em conjunto nas ações para mitigação de riscos e manutenção da Saúde. Atualmente, a Medicina Veterinária é uma das profissões com maior abrangência de áreas de atuação no Brasil e no mundo. As atividades do médico veterinário vão muito além da assistência clínica aos animais. Envolve também a defesa sanitária animal, a Saúde Pública, a pesquisa uni e multidisciplinar, dentre muitas outras. O Conselho Nacional de Saúde incluiu a Medicina Veterinária no rol das profissões de saúde, pela Resolução CNS nº 287/1998. Na Saúde Pública, o médico veterinário atua diretamente no SUS: na Vigilância Sanitária, especialmente inspeção e fiscalização de produtos de origem animal; na Vigilância Ambiental; na vigilância e controle de vetores e zoonoses; na Vigilância Epidemiológica e Saúde do Trabalhador; e na Atenção Básica em Saúde, uma vez que pode compor a equipe do Núcleo Ampliado de Apoio à Saúde da Família (NASF-AB). É responsável por pesquisas de tecnologias de produção de alimentos, estudos de medidas de saúde pública relativas às zoonoses e ao manejo do ambiente. Sendo assim, este projeto de pesquisa tem como objetivo englobar trabalhos que desenvolva uma interligação em saúde humana, sanidade animal e equilíbrio com o meio ambiente, focando em atividades de pesquisa, educação em saúde, e interligação entre estes setores.