PRISCILA GOMES DE OLIVEIRA

AUTOR: PRISCILA GOMES DE OLIVEIRA

TÍTULO: DIAGNÓSTICO DE Ehrlichia spp. EM CÃES ASSINTOMÁTICOS

ORIENTADORA: CECÍLIA NUNES MOREIRA

DATA: 06/02/2020

Resumo

A Ehrlichia canis é um importante agente infeccioso em cães, de difícil controle devido a distribuição do seu vetor, o Rhipicephalus sanguineus. Sendo transmitida de um cão para outro pelo repasto sanguíneo do carrapato vetor, que pela hematofagia ingere o agente de um cão infectado contendo mórulas nas células parasitadas. Durante o repasto sanguíneo, os componentes da saliva do carrapato atuam na resposta imune local do hospedeiro, diminuindo a resposta do tipo Th1. Essa supressão favorece a resposta do tipo Th2, possibilitando que a infecção se instale. Desse modo o animal gera alterações hematológicas e bioquímicas inespecíficas dificultando o diagnóstico, que muitas vezes é feito de forma presuntiva. Induzindo ao uso de medicação desnecessária podendo gerar complicações na eficácia do tratamento devido ao favorecimento de resistência a antibióticos. É importante esclarecer e estudar sobre os meios de diagnósticos e as associações necessárias, para evitar tratamentos desnecessários, especialmente em casos assintomáticos. O diagnóstico definitivo requer o uso de técnicas mais sensíveis como técnicas moleculares e não somente considerar o hemograma completo e testes sorológicos qualitativos. Visto que a disseminação de casos de erliquiose entre a população canina e as limitações das técnicas convencionais de diagnóstico, identificação e diferenciação de microrganismos podem promover equívocos no diagnóstico de doenças infecciosas, pretende-se explorar outros meios de diagnósticos disponíveis em cães assintomáticos com alterações hematológicas, visando esclarecer e conscientizar sobre a forma como os tratamentos contra hemoparasitoses estão sendo administrados.

Related Files Size Archive Fingerprint
Dissertação de Priscila Gomes Oliveira 1088 Kb c84a5f7f5dbadcff330f0af33a7a691f