DAIANE RODRIGUES DE SOUZA TERRA

AUTOR: DAIANE RODRIGUES DE SOUZA TERRA

TÍTULO: TOPOGRAFIA DA MEDULA ESPINAL DE Alouatta belzebul

ORIENTADOR: Prof. Dr. Kleber Fernando Pereira

DATA DE DEFESA: 21/09/2018

 

RESUMO:

O gênero Alouatta compreende espécies popularmente conhecidas como guariba ou bugio, possui ampla distribuição geográfica e pode ser encontrado em vários biomas. O objetivo deste trabalho foi descrever a anatomia da medula espinal, com enfoque na topografia do cone medular de espécimes de Alouatta belzebul, destacando as intumescências cervical e lombar e cauda equina, a fim de proporcionar conhecimentos da anatomia, e comparar com outras espécies para auxiliar em procedimentos anestésicos e cirúrgicos. Foram utilizados quatro animais, que vieram a óbito, recebidos do projeto de salvamento e aproveitamento científico da fauna da Usina Hidrelétrica de Belo Monte-Pará, e fixados em solução aquosa de formaldeído 10%. As estruturas como cone medular, intumescência cervical e lombar, e cauda equina foram documentadas por meio de câmara fotográfica. Após o descongelamento, mensurou-se a altura dos espécimes para ter uma proporção do tamanho destes animais e observou-se tamanho de 80 a 82 cm da cabeça aos pés. Após a remoção da pele e da musculatura, observou-se que a coluna de todos os espécimes de bugio apresentaram a divisão em 7 vértebras cervicais, 13 torácicas, 5 lombares e 3 sacrais fundidas. Após a retirada dos arcos vertebrais para a exposição da medula espinal, contastou-se que a medula tem comprimento de 22 cm para todos os animais, apresentando a intumescência cervical entre as vértebras C3 e C6, com média de 2,2 cm e a intumescência lombar entre as vértebras T11 e T12, com média de 1,65 cm. O cone medular situa-se entre as vértebras T12 e L1, com média de 1,5 cm, e a cauda equina entre L1 e S3, com média de 15 cm. A disponibilização deste estudo tem importante papel, servindo de base para a prática das anestesias epidurais.

  Pdf ícone

TEXTO COMPLETO